Mudar o outro – Quanto do outro é o outro e quanto é sua projeção?

Olá pessoal

Quantas vezes você já apontou no seu parceiro (a) o que não lhe agrada? Conversou várias vezes sobre os assunto, falou, repetiu, chorou, gritou ou até deixou de falar?  Certamente várias vezes já passou pela sua cabeça que seu parceiro não a ouve, não se importa ou não tem consideração por você pelo fato de que nunca há a mudança que você espera.

No consultório o que ouço de meus pacientes também não é diferente!  Tentam encontrar solução até mesmo em terapia de casal. Mas eu lhe pergunto: Até que ponto é saudável no relacionamento querer mudar o outro a fim de corresponder as suas expectativas? Será que uma conversa franca com o parceiro pode mesmo resolver ou será que pode piorar de vez?

No começo é muito bom amar, tudo é maravilhoso, mas fazer planos de mudanças começa a partir do momento que você passa a enxergar os defeitos da outra pessoa. A mudança acontece somente quando não há repressão, de comum acordo, onde um pode servir de exemplo para o outro.

Será que o defeito do outro é algo de que depende sua felicidade?  Buscar a felicidade no outro é buscar a felicidade no lugar errado, porque a felicidade esta nas nossas próprias ações. Ao tentar controlar, manipular ou mudar o comportamento do outro, nos tornamos chatos e companhias desagradáveis. O outro passa a não ter personalidade, porque querer mudá-lo é uma forma de idealizar o julgamento que achamos adequado, as pessoas não podem agir a seu modo, isso é sinal de perfeccionismo e insegurança.

O amor é o dom daquilo que somos, o desejo é o que sustenta as diferenças, ou seja, é saber que o outro é diferente de você e conseguir valorizar isso. E compreender que completar um ao outro não existe, nem a nós mesmos. Tendo em vista que a aceitação do incompleto e do que é diferente é que se constroem relações que se mantém. 

Aceitar que o outro não é completo e que possui defeitos é em primeiro lugar aceitar a si mesmo. É olhar para dentro de nós mesmos e perceber nossas dificuldades e nossa falta. É difícil praticar esse exercício porque estamos focados no trabalho, nos problemas de casa até o foco em nos mostrar bem e feliz para a “sociedade” acaba não nos permitindo olhar o que não é bonito e desagradável. É sempre mais fácil encontrar uma causa externa ao invés de olharmos para nós mesmos.

Todo relacionamento tem suas dificuldades que são enfrentadas com uma boa dose de sofrimento, conversas, argumentações e negociações a fim de encontrar novos caminhos e soluções, pois o relacionamento é formado por duas pessoas diferentes, que valorizam coisas opostas, são dois mundos tentando se adaptar um ao outro.

“Você tem que mudar nisso e naquilo!”


 

É uma forma autoritária de impor suas exigências de mudança de comportamento ao parceiro. O outro sente-se cobrado e julgado e a conversa não vai acabar bem. O outro passa a entender que não o ama do jeito que ele é e como o conheceu. Quando há mais espaço para cobranças, reclamações e discussões no relacionamento, a paixão vai embora, o amor é que o refúgio, é o cuidar, agindo dessa forma faz apenas com que o outro se afaste. Porém deve-se ressaltar que quando duas pessoas resolvem falar tudo que pensam podem acabar mais machucadas e ressentidas, certas coisas não precisam ser ditas até mesmo porque não acrescentam em nada, assim evita-se uma devastação emocional.

Importante

Ao invés de apontar os erros e defeitos no outro é melhor oferecer alternativas que permitem melhorar o comportamento. Quando oferecer algo que o outro percebe que vai beneficiá-lo acontecerá a aceitação da influência que você exerce sobre ele. A influência será gentil e harmoniosa quando se reconhece que não é sua obrigação persuadir o outro. Você deve colocar sua opinião, mas saber ouvir e respeitar a opinião do outro também. Sua atitude é a única maneira que possui para que o outro queira mudar o comportamento por vontade própria. Adotando essa postura, contribuímos em favor do que o outro procura alcançar.

A solução

A superação das decepções devido ao fato de o outro não ser como você sonhava é uma difícil tarefa, mas se descobre que pode amar alguém de suas falhas. É impossível mudar o outro a não ser a você mesmo. Pois estamos constantemente nos modelando. Tenha o cuidado de observar o outro com admiração e suas qualidades, seja flexível e aceite abrir de pequenos hábitos para que a relação possa progredir. Faça uma lista se necessário de tudo que admira no outro e leia todos os dias e descubra (novamente) porque o ama.
Admirar é o grande segredo.

“Você não pode mudar as pessoas, você precisa ser a mudança que deseja ver nos outros”.  Mahatma Ghandi


Fonte: Papo de Homem
Projeto Seja Feliz
Mundo das Tribos



22h27 |




[ página principal ]